Começou neste domingo a 10a. edição da Semana de Artes Visuais do Recife (SPA das Artes). Até o dia 18 de setembro (domingo), a cidade vai ser invadida por exposições, performances, mostras de vídeo e instalações que vão mexer com a cabeça das pessoas e trazer à tona aquela velha pergunta: “Peraí, isso é arte?”

A programação vai acontecer em quatro frentes: Museu Murilo La Grecca, MAMAM, Galeria Janete Costa (situada no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem) e Pátio de São Pedro (onde estão o MAMAN no Pátio, o Memorial Chico Science e o Centro de Formação em Artes Visuais).

No Museu Murilo La Grecca estão acontecendo a exposição Desvenda, de Porto Alegre (RS), um brechó (atenção fashionistas, tem coisa legal e barata por lá) e foram lançadas a ReviSPA e o Mapa das Artes 2011, com o endereço de artistas plásticos, grupos, pesquisadores, centros culturais ligados às artes visuais que atuam no Grande Recife.

Logo na entrada do museu nos deparamos com a intervenção In-Memorian, do artista plástico paraibano Antônio Lima: lápides com a inscrição “Não Tinha Onde Cair Morta”, cujo objetivo é “se apropriar de espaços urbanos, desvirtuando sua utilização convencional. Imaginem se no lugar de casas, começassem a surgir cemitérios em espaços públicos.”

Na duas salas principais do espaço, temos uma exposição dos trabalhos do artista que dá nome ao museu, Murilo La Grecca – de estilo clássico, que contrasta com as obras contemporâneas que estão expostas na última sala.

E é na última sala, na exposição Desvenda, que encontramos algumas das obras mais instigantes da mostra. Vejam algumas imagens e os pequenos vídeos que gravei por lá; e, se possível, vão pessoalmente ver tudo de perto.

Uma das obras mais instigantes da mostra no Murilo La Grecca.

Uma das obras mais instigantes da mostra no Murilo La Grecca.

Desenho de Fábio Zimbres.

Desenho de Fábio Zimbres.

Sphere: Related Content